Mindfulness – O que é? Para que serve?

Categories Faz-me Bem...

Conheci o Vasco Gaspar há cerca de 4 anos, através de uma amiga em comum, e confesso que fiquei fascinada com a nossa conversa. Na altura, eu procurava uma forma de baixar os níveis de stress e parar – parar para prestar atenção ao que me rodeava e não viver sempre no amanhã –  centrar-me em mim e no que era essencial, saborear a vida. O tempo parecia – e parece – que tinha menos tempo, os ponteiros pareciam andar mais depressa e eu não estava a conseguir parar para viver o presente, o agora! Conhecer-me melhor, focar-me no que realmente era importante foram apenas algumas das coisas que consegui com a ajuda do Vasco e do projecto Online que desenvolveu, o ZBHD – o pagamento do “curso” é na prática uma doação, sem valor obrigatório, que reverte para uma boa causa. Hoje, aqui e agora, para quem não o conhece, através de perguntas simples e diretas, apresento-vos o Vasco e o Mindfulness!

IMG_9740 (2)

 

AR: MINDFULNESS. O que é?

Vasco: Mindfulness, da forma como me revejo, é uma capacidade que todos já temos e que podemos desenvolver: a capacidade de estarmos presentes ao que se está a passar em nós e em nosso redor; a capacidade de estarmos atentos ao nosso corpo, às nossas emoções, aos nossos pensamentos e ao que nos rodeia (em vez de estarmos em “piloto automático” e perdidos em pensamentos). É uma prática para nos conhecermos, para cultivarmos uma mente mais sã, plena, consciente, presente e feliz. Diria mesmo que é uma prática para fazermos amizade connosco próprios e tocarmos algo mais profundo e saudável que sempre existiu dentro de nós.

AR: O que significa o termo?

Vasco: Existem diversas traduções para o termo. É normalmente traduzido como “atenção plena”.

AR: É para qualquer idade?

Vasco: Cada vez mais há programas específicos para diferentes idades e contextos (ex. educação, saúde, empresas, etc.)

AR: Quanto tempo é necessário dedicarmos à prática?

Vasco: Ser não implica tempo algum (RISOS)… Caso queiramos cultivar esta capacidade através da meditação (que neste contexto significa apenas treino mental, nada mais), diria que 10/15 minutos por dia já trazem um enorme benefício, existindo vários estudos científicos nesse sentido.

AR: Há estudos que comprovam os efeitos desta prática…

Vasco: Hoje em dia só no site da PubMed (uma das fontes onde por exemplo os médicos consultam estudos científicos) existem mais de 3.000 artigos com revisão de pares sobre mindfulness. Para além disso há também dezenas de estudos científicos em áreas como a educação, as organizações, etc. É uma área com bastante suporte nestes dias, apesar de ainda estarmos na “infância” da mesma.

AR: Que resultados podemos obter?

Vasco: Com treino regular (10 a 15 minutos, pelo menos 3 a 5 vezes por semana), ao fim de 8 semanas as pessoas que têm feito o meu programa (atualmente perto de 2500) têm registado um decréscimo de 20% em termos de stress, um aumento de 15% em termos de atenção e uma subida de 14% em termos de bem-estar mental (entre outras medidas). Se tratamos da nossa higiene do corpo diariamente, deveríamos tratar da higiene da mente com a mesma regularidade. Haverá algo mais importante que cultivar uma mente sã, calma, clara, focada e feliz?

AR: Quais são os mitos sobre a técnica?

Vasco: Existem imensos mas talvez o maior seja pensar que meditar é não pensar. A mente pensa, da mesma forma que o coração bate. As distrações são normais, esperadas e fazem parte da prática.

AR: E se nos distrairmos? 

Vasco: Notamos que nos distraímos e simplesmente retomamos a prática. Fazendo uma analogia com o ginásio: quando estamos concentrados é como se estivéssemos com o “músculo contraído” e quando estamos distraídos é como se estivéssemos com o “músculo relaxado”. Para “construirmos músculo” precisamos dos dois “movimentos”. A distração faz parte da prática, é esperada e é muito bem vinda.

AR: Podemos dizer que é um treino? 

Vasco: Sim, em contexto secular é um treino mental, sem dúvida. Podemos até pensar que a palavra desporto está para o corpo como a palavra meditação está para a mente.

AR: Que atitude devemos ter para connosco durante o nosso tempo de Mindfulness? 

Vasco: Muita curiosidade, aceitação, gentileza e auto-compaixão.

AR: Ao fim de quanto tempo começamos a notar diferenças em nós? 

Vasco: Por vezes notamos diferenças de estado quase automaticamente, sendo as mesmas visíveis mesmo em termos de fisiologia (ex. redução do batimento cardíaco, da tensão arterial, etc.). No entanto para que elas passem de “estado” para um “traço”, ou seja, se tornem mais vincadas e parte da nossa maneira de ser, levam tempo. É como ir ao ginásio, ninguém fica com um corpo definido ao fim de uma sessão. Diria que 8 semanas será o mínimo, a vida inteira será o máximo.

AR: Como podemos praticar no nosso dia-a-dia? 

Vasco: Em termos “formais” existem algumas possibilidades, sendo a mais comum e estudada a meditação mindfulness (atenção que existem centenas de tipos de meditações e muitas delas não estão desenhadas para cultivar o mindfulness). Em termos “informais” podemos praticar em qualquer sítio. Ao ler estas palavras, está atenta e presente às mesmas ou está a pensar noutra coisa? Ao comer, está de facto a saborear a comida ou está distraída com outra coisa qualquer? Em todo e qualquer momento e situação podemos perguntar: estou totalmente presente, aqui e agora? Se sim, óptimo. Se não, volte ao presente, pois caso não tenha reparado ainda é o único momento que tem para viver.

AR: Existe um antes e um depois? 

Vasco: Não. Existe apenas este momento. E se estivermos totalmente presentes, iremos encontrar a forma mais saudável, criativa e alinhada com aquilo que a Vida quer viver através de nós neste momento… E isso leva-nos a sítios que em “piloto automático” nunca teremos hipótese de alcançar.

O Programa e os resultados

Informações e inscrições no programa:

http://zorbuddha.org/ZorBuddha_pt/ZBHD.html

O Vasco deixa também o link para o livro, que acaba por ser o programa em formato livro (com CD com meditações):

LIVRO – Basta clicar

Contactos:

http://vascogaspar.com/vasco-gaspar/

http://vascogaspar.com/contactos/

info@vascogaspar.com

Centros para praticar (sugestões do Vasco):

Em Lisboa:

No Porto:

Em Aveiro:

IMG_9747 (2)

Partilhas 425

2 thoughts on “Mindfulness – O que é? Para que serve?

  1. Olá Andreia! Eu estou no dia 62 do ZorBuddah. Visto estar a tirar o mestrado de Musicoterapia, temos de ser “pacientes” durante pelo menos 10 sessões. Numa delas a minha terapeuta falou-me neste programa e eu estou a adorar. Já é algo intuitivo e que fica na cabeça. Não posso escrever agora, mas tenho as respostas na cabeça e quando puder escrevo.
    Beijinhos e continuação de um ótimo blog 🙂

  2. Estamos sempre a ter conhecimento de coisas novas, isso é bom muito bom mesmo, fazer despertar a nossa mente para novas técnicas que nos ajudem a viver (ser integrados) neste mundo tão frenético de hoje em dia. Ao acompanhar esta entrevista, revi-me nas respostas do entrevistador, sou uma amante de meditação faz muito tempo, até acredito que a pratico desde que nasci. É bom muito bom saber tirar partido dela e beber de todos os ensinamento decorrentes. Bem haja, amem-se a si próprios acima de tudo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *