4 Regras para a lista de convidados

Categories Estou noiva... E agora?

Fazer a lista de convidados é uma das tarefas mais difíceis no planeamento do casamento. Nem sempre o orçamento, ou o espaço onde gostaríamos de casar, nos permite estender os convites a tantas pessoas quanto desejaríamos, o que por vezes pode resultar em situações menos confortáveis. Para vos ajudar nesta gestão delicada, pedi à Cristiana Vaz Franco, da Love is My Favorite Color, que deixasse algumas sugestões. Porquê a Cristiana, porque foi minha wedding Planner e porque foi essencial para que tudo corresse bem. Bem sei que nem todas as pessoas podem recorrer a estes serviços e por isso desafiei-a a, mais uma vez, ajudar quem precisa, com estas dicas essenciais. E aqui estão elas:

#1 Definir o tipo de casamento

Vamos querer um festão ou um casamento mais intimista? Esta decisão será também fundamental para a escolha do espaço ideal, o que pode também condicionar o número de convidados.

 

 

#2 Definir o número ideal de convidados em função do orçamento

É importante perceber quantos convidados o vosso orçamento vos permite. Existem custos que não variam em função do número de convidados (ex: aluguer do espaço, fotógrafo, florista, DJ,… ) por isso é importante ter a ideia do orçamento global, retirar os custos fixos e perceber, em função do catering que gostariam de considerar, quantos convidados fará sentido convidar.

Como em tudo, o importante é encontrar o equilíbrio ideal entre  os convidados que gostariam de convidar e o casamento que gostariam de ter.

#3 Corta e cose

 

Este é o desafio maior pelo que convém considerar diferentes situações:

Família: Independentemente do grau de parentesco, devemos convidar a família que nos é próxima do coração. Se não existe contacto regular com um determinado familiar ou parte da família, poderá não fazer sentido incluí-los numa lista mais restrita.

Amigos: O ideal será definir círculos de amigos por proximidade – dos mais presentes aos mais afastados e ir colocando na lista mediante esse princípio. Se é uma amiga de infância mas com quem entretanto se perdeu o contacto numa base regular, talvez não faça sentido incluir.

Namorada(o)s: Nas situações em que o casal vive junto, está noivo, ou namora há já muito tempo, é indelicado não estender o convite ao namorado(a), sobretudo se é alguém que conhecemos. No entanto, existem também situações em que, apesar do namoro ser de curta duração, temos a convicção de que é para durar e neste caso, devemos também incluir.

Colegas de trabalho: A meu ver, faz sentido convidar apenas os colegas com quem convivemos fora da esfera profissional, aqueles que se tornaram amigos e que irão fazer parte da nossa vida apesar do trabalho. O casamento é um evento muito pessoal e por esse motivo fará sentido convidar família e amigos em detrimento dos colegas de profissão.

Amigos dos Pais:  Existem amigos dos pais que acabam por se tornar família, e nestes casos, serão naturalmente convidados. Existem no entanto situações em que não será tão claro assim. Por esse motivo, sugiro que seja definido, em conjunto com os pais, um número limite e igual de convidados para ambos os lados.

Crianças: Se optarmos por um casamento sem crianças é importante que o façamos notar aos nossos convidados atempadamente para se poderem organizar. Lembro a importância de sermos coerentes nestes casos, ou seja, se definimos que não queremos crianças (ou que vão apenas crianças da família) convém não abrir excepções, porque se forem umas crianças e outras não, podemos correr o risco de ferir susceptibilidades.

 Casais que nos convidaram para o seu casamento: Mais do que termos ido ao seu casamento, importa perceber se estas pessoas fazem parte da nossa vida actualmente e em que esfera de amigos se enquadram. Se foi um casamento recente, com uma dimensão semelhante ao do nosso, convém pensar bem antes de excluir da lista de convidados.

 

DICA: uma boa forma de incluir amigos, é explicar-lhes que apesar de não ter sido possível incluí-los na lista de casamento (por restrições de espaço ou orçamento), adorariam que aparecessem para a festa!!!

#REGRA DE OURO

Bom Senso. Esta deve ser a regra de ouro para todas as decisões que tomarem.

 

Agradecimento:

Love is My Favorite Color

 

Imagens:

Rui Vaz Franco – Love is my favorite Color

Partilhas 347

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *